O nascimento da Oftalmologia

A visão sempre exerceu fascínio sobre a humanidade. Os segredos do sistema que coloca o homem frente a frente com o mundo têm sido revelados ao longo dos anos. Neste aspecto, os avanços tecnológicos são fundamentais para que novos métodos de diagnóstico e tratamento dos problemas oculares sejam encontrados, garantindo um olhar de esperança para o futuro.

A civilização egípcia foi a primeira a estudar os olhos humanos, mas foram os gregos que instituíram a Oftalmologia clínica. Hipócrates, o pai da Medicina, dedicava-se com entusiasmo ao estudo minucioso das doenças oculares e, nesta época, surgiram os registros iniciais da anatomia dos olhos.

Na Idade Média, a Oftalmologia era praticada de forma itinerante, por indivíduos com pouco conhecimento sobre o assunto. No século XVII, Kepler, Descartes e Christoph Scheiner avançaram na área ao descobrirem as peculiaridades da refração ocular. Um século depois, a localização da catarata foi desvendada e as atenções se voltaram para o cristalino.

Muitas outras descobertas marcaram os avanços da Oftalmologia até que em 1803, a Universidade de Göttingen instituiu o primeiro curso da especialidade.

O século XX se destacou pelas inovações no campo cirúrgico, que progrediu imensamente após a Segunda Guerra Mundial. A criação dos bancos de olhos e a conscientização da importância dos exames de rotina para diagnóstico precoce de problemas oftalmológicos foram fundamentais para a saúde ocular.

Mas, de fato, nada se compara a modernidade das microcirurgias oculares que apresentam resultados surpreendentes.

Para acompanhar as mudanças da área e promover o aperfeiçoamento tecno-científico dos oftalmologistas brasileiros foi fundada a Sociedade Brasileira de Catarata Refrativa que há 25 anos trabalha pelo restabelecimento da visão dos portadores desta doença, investindo no conhecimento de seus especialistas.

Ciente da importância deste nobre passado, a SBCII reuniu nesta página um breve relato da evolução da cirurgia de catarata. Assim, você poderá viajar a tempos distantes para conhecer homens visionários que não desanimaram diante dos obstáculos e lutaram para vencer a cegueira.